quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Benavente: Fernando Fonseca e Hilário Ferreira condenados a 8 e 9 anos de prisão


«O Tribunal de Benavente condenou esta quarta-feira Fernando Fonseca, líder do grupo que estava acusado de 27 assaltos à mão armada, a nove anos e meio de prisão e aplicou a pena de oito anos e meio a Hilário Ferreira, um dos elementos do grupo.

A dois outros arguidos  (num total de seis), o colectivo de juízes aplicou  a pena suspensa de um ano e seis meses e um ano e três meses, ambos por  um crime de detenção de arma proibida e absolveu os restantes dois arguidos. 
     
Na leitura do acórdão, a presidente do colectivo disse "lamentar não  poder condenar todos os arguidos", que, no seu entender "cometeram os assaltos,  mas que não ficaram todos provados" ocorridos, entre 2009 e 2010, a portagens,  postos de abastecimento de combustível, caixas multibanco e supermercados,  na zona Centro.»



in CM online, 21-12-2011

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Benavente: Arguido Joaquim Miguel Borges chama “vaca" e "puta" a juíza

Quando ouviu a condenação a seis anos de prisão, pela prática de 17 crimes, Joaquim Miguel Borges, de 21 anos, dirigiu-se à juíza do Tribunal de Benavente, com palavras ofensivas como "vaca" e "p...". A leitura do acórdão decorreu sexta-feira e o arguido exaltou-se quando se apercebeu de que ia para a cadeia, ao contrário do que esperava.

No final da audiência, levantou-se do banco dos réus e, aos gritos, dirigiu as palavras ofensas à juíza-presidente do colectivo. Joaquim Miguel Borges, que estava em prisão preventiva, ainda tentou saltar o gradeamento de madeira e avançar para os juízes e procurador do MP, mas foi impedido pelos guardas prisionais.

No final do incidente, a juíza-presidente proferiu um despacho em que ordena a extracção de uma certidão sobre os acontecimentos e seu envio para o MP, para instauração de um processo contra o arguido.

O jovem estava acusado de crimes de roubo, furto, injúrias, coacção sobre agente da autoridade e condução perigosa, entre outros. A soma das penas dava 15 anos de prisão, reduzidos a seis em cúmulo jurídico.



in CM online, 20-12-2011

domingo, 18 de dezembro de 2011

Foros de Salvaterra: “Desemprego levou-o a assaltar o banco”

«Desempregado e a atravessar uma depressão psiquiátrica, Nelson Moreira teve "um verdadeiro momento de loucura", no primeiro crime que cometeu na vida. Tentou assaltar à mão armada a dependência do Millennium BCP de Samora Correia, sexta-feira de manhã, disfarçado de pescador.



Quem o diz são os familiares do assaltante, de 37 anos, que ontem foi presente ao Tribunal de Vila Franca de Xira. Vai agora aguardar julgamento em prisão preventiva.

Para o irmão de Nelson Moreira, que reside em Foros de Salvaterra, Salvaterra de Magos, e pediu para não ser identificado, "tudo isto é surreal", reconhece ao CM.

Operador de gruas de profissão, Nelson Moreira sofreu um acidente de trabalho que lhe provocou lesões na coluna há cerca de um ano e ficou sem emprego logo a seguir. "O facto de não conseguir arranjar trabalho para sustentar a família deixou-o muito abalado e deprimido", explica o irmão, acrescentando que ele andava fortemente medicado e cada vez mais isolado.

"Mas nunca passou pela cabeça de ninguém que ele fosse capaz de pensar em fazer uma coisa destas. O desemprego levou-o a assaltar o banco", acrescentou o familiar, garantindo desconhecer que Nelson tinha uma arma. Na aldeia ribatejana, a maioria dos habitantes ficaram incrédulos. "Conheço-o desde miúdo. Apesar de gostar de motas e de fazer tatuagens, é bom rapaz e nunca o vi metido em confusões", disse ao CM um morador de Foros de Salvaterra. "A família é bastante respeitada."»



in CM online, 18-12-2011

sábado, 17 de dezembro de 2011

Utentes de Saúde de Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche e Salvaterra de Magos marcam protestos para dia 29 de dezembro


«As comissões de utentes dos seis concelhos abrangidos pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Lezíria II agendaram protestos para 29 de dezembro, depois de hoje se terem reunido com a tutela.

Os representantes dos utentes de Benavente, de Salvaterra de Magos, de Alpiarça, de Almeirim, de Coruche e da Chamusca reuniram-se com responsáveis pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) para exporem as suas preocupações sobre o possível fecho de várias extensões de saúde nesses concelhos.

«Saímos com o mesmo nível de preocupação e com as expetativas defraudadas. O vice-presidente da ARSLVT, Luís Pisco, não nos soube dizer o que vai acontecer a 01 de janeiro e que só perto do final do ano é que o Governo decidirá sobre o futuro das extensões de saúde que estão em risco de fechar», disse Domingos David, à Agência Lusa.»



in Diário Digital, 16-12-2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Marinhais: Dor de garganta acaba em morte do jovem Júlio Ramalho

«Um dia depois de ter sido consultado no Centro de Saúde de Benavente, e de ser enviado para casa com medicação, um jovem de 18 anos, que se queixava de uma inflamação na garganta, deu entrada no Hospital de Santarém com uma infecção geral e em estado muito grave. Os médicos ainda o operaram de urgência, mas já não o conseguiram salvar. Júlio Ramalho morreu ontem de manhã. Os familiares suspeitam de negligência médica.

- Paula Moreira não se conforma com a forma como morreu o irmão, Júlio Ramalho (foto pequena) -


"Sentimos uma dúvida e uma injustiça muito grande. Se era só uma inflamação na garganta, como morre assim de repente com uma septicemia?", interroga-se Paula Moreira, irmã da vítima. Júlio Ramalho vivia com a mãe e um irmão, em Marinhais, e frequentava o 12º ano na Escola Básica e Secundária de Salvaterra de Magos. Na manhã de sexta-feira (dia 9), decidiu ir ao Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do Centro de Saúde de Benavente, por sentir a garganta inflamada. "Foi atendido e enviado para casa com medicação", explicou Luísa Portugal, directora do Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria.

No dia seguinte, a mãe foi dar com ele na cama, "com a boca a ficar roxa e sem forças para se levantar". Dado o alerta para os bombeiros, o jovem teve de ser transportado ao colo para a ambulância e sujeito a manobras de reanimação.

Quando deu entrada no Hospital de Santarém, o seu estado era já muito grave. Foi submetido a intervenção cirúrgica urgente, colocado em coma induzido e internado nos Cuidados Intensivos. Apesar dos esforços, acabou por morrer ontem, às 09h30. Fonte do hospital disse ao CM que a morte se deveu à falência de órgãos vitais, provocada por uma doença infecciosa, que não põe em causa a saúde pública.

Apesar das dúvidas, a família do jovem decidiu não solicitar a realização de autópsia. O funeral de Júlio realiza-se hoje, às 14h00, na Igreja de Marinhais.

ESTUDANTES DESCONFIAM DA MEDICAÇÃO

A morte de Júlio César Ramalho deixou a população de Marinhais e a comunidade escolar de Salvaterra de Magos em choque. O jovem terá dito a alguns colegas da escola que "tinha levado uma injecção" no Centro de Saúde (CS) de Benavente, o que os levou a suspeitar de que a sua morte possa ter sido provocada por uma alergia a esse medicamento. Mas os responsáveis do centro de saúde asseguram que apenas foi prescrita medicação para o jovem tomar em casa»



in CM online, 14-12-2011

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cartaxo: Detido suspeito de balear a ex-companheira


«A GNR anunciou a detenção, no Cartaxo, de um homem, de 74 anos, suspeito de ter baleado a sua ex-companheira, transportada para o Hospital Distrital de Santarém com ferimentos graves.

O crime ocorreu pelas 20.30 horas de segunda-feira, quando, por circunstâncias desconhecidas, o homem baleou a vítima no peito.

O suspeito foi detido pela GNR e é presente, esta terça-feira, a tribunal para primeiro interrogatório judicial.»


in JN online, 13-12-2011

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Salvaterra de Magos: Operária ficou presa em máquina de transporte de arroz


«Uma operária ficou, esta segunda-feira, com um braço preso numa máquina de transporte de arroz numa empresa situada em Salvaterra de Magos.

Segundo o Centro Distrital de Operações de Socorro de Santarém, a operária, 58 anos, foi assistida no local por uma equipa médica do Hospital Distrital de Santarém, tendo sido depois transportada num helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

A mesma fonte adiantou que o desencarceramento foi muito demorado, tendo a equipa de socorro conseguido retirar a operária sem amputar o membro preso.

O acidente ocorreu ao final da manhã na Sociedade Agrícola Soacapi, Agricultura e Produção Animal Combinadas, situada em Salvaterra de Magos, disse.

No local estiveram, além do helicóptero do INEM e da viatura médica de emergência e reanimação do Hospital de Santarém, três veículos e oito elementos dos Bombeiros de Salvaterra de Magos e a GNR.»




in JN online, 12-12-2011

domingo, 11 de dezembro de 2011

Coruche: População cortou ponte que precisa de "reparação urgente"

«A população de Santa Justa, Coruche, cortou simbolicamente este domingo a ponte que foi interditada ao trânsito pesado em Novembro, tendo três pessoas sido identificadas pela GNR, disse fonte da Comissão de Utentes de Serviços Públicos da freguesia do Couço.

Liliana Barroso disse à agência Lusa que mais de uma centena de pessoas presentes na reunião realizada este domingo à tarde em Santa Justa decidiram fazer um corte simbólico da ponte que "necessita de reparação urgente".

Segundo disse, a população ficou "muito indignada" perante a informação de que existirão indicações da protecção civil de que a ponte apenas deveria ter uso pedonal, tendo decidido deslocar-se ao local.

Liliana Barroso adiantou que os populares abordaram os automobilistas que atravessaram a ponte, tendo entretanto chegado a GNR, que procurou retirar as pessoas do tabuleiro.

"A população resistiu e fez um corte simbólico. A ponte esteve cortada durante cerca de uma hora", tendo depois as pessoas regressado à aldeia, disse.

Já na aldeia, a GNR procurou identificar os "líderes" da contestação, tendo acabado por identificar três pessoas, apesar de a população se ter juntado exigindo que fossem todos identificados, afirmou.

Liliana Barroso disse que a população irá marcar novas ações "porque a situação é muito grave".

Segundo disse, a população quer apenas que "os decisores se entendam, porque é necessário arranjar a ponte com urgência".

A ponte, com pouco mais de uma centena de metros e trânsito num só sentido, alternado, foi encerrada ao trânsito de pesados em meados de Novembro, porque as juntas do tabuleiro Sul oscilavam à passagem dessas viaturas, afirmou.

Segundo disse, a travessia, situada numa estrada municipal, acaba por ter muito trânsito, já que liga a Montargil, Ponte de Sôr e Portalegre.

Além das preocupações com a segurança de quem diariamente utiliza aquela travessia, Liliana Barroso referiu a revolta da população de Santa Justa que não tem alternativa para escoar os produtos da agricultura e a lenha.

Questionado este domingo pela Lusa, o presidente da câmara municipal de Coruche, disse que a autarquia já se disponibilizou para colaborar na recuperação da ponte, mas, frisou, a iniciativa cabe a quem tem a tutela desta infraestrutura, a Direcção Geral da Agricultura e a Associação de Regantes do Vale do Sorraia.

Segundo Dionísio Mendes, a autarquia determinou a interdição do trânsito de pesados e pediu à Estradas de Portugal uma análise técnica ao estado da ponte.»



in JN online, 11-12-2011

Benavente: Tentativa de assalto e sequestro em Samora Correia


«Dois indivíduos tentaram, este domingo, assaltar um armazém de produtos chineses, em Samora Correia, Benavente, sequestrando um empregado que conseguiu soltar-se.

Depois de entrarem no espaço, os assaltantes amarraram o funcionário do armazém, mas este foi bem sucedido na tentativa de soltar-se e impediu o roubo, disse à Lusa fonte do comando geral da GNR.

Os indivíduos fugiram, não tendo sido ainda detidos, adiantou a mesma fonte.»



in JN online, 11-12-2011

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Falsos polícias residentes em Salvaterra de Magos acusados de roubo e sequestro

«O Ministério Público (MP) acusou três homens, que se fizeram passar por falsos polícias, pela prática de roubo qualificado na forma consumada, e do sequestro do motorista de um veículo pesado de mercadorias.

No despacho de acusação, a que a Agência Lusa teve acesso, na madrugada de 15 de Maio de 2010, os três arguidos, em duas viaturas, "perseguiram" o camião carregado de televisores no valor de 4.500 euros, desde Alverca até à saída de Aveiras de Cima, na A1. 
        
Já no IC2, sentido Aveiras de Cima, Rio Maior, um dos arguidos "colocou um pirilampo no veículo onde seguia e ultrapassou o pesado". O motorista, ao serviço da transportadora Luís Simões, pensando tratar-se da "autoridade policial, imobilizou a sua marcha". Acto contínuo, usando gorros, enquanto um dos arguidos "trancou as rodas da galera", um outro, "munido de um martelo", obrigou o motorista a sair da cabine, "prendeu-lhe as mãos atrás das costas com duas braçadeiras", colocou-lhe "um gorro na cabeça" e "sentou-o no lugar do pendura do camião".  
      
Entretanto, dois dos homens "arrancaram" com a viatura pesada, seguindo atrás o terceiro arguido a bordo de uma viatura ligeira. Chegados à zona de Pedreiras, Alenquer, um dos homens "arrastou" o motorista "para o interior da galera do camião". No local, um dos dois arguidos que seguia no pesado, mudou-se para a viatura ligeira e na companhia do outro elemento, rumaram até Aveiras de Cima a fim de "recuperarem" a segunda viatura que ali tinham deixado aquando da intersecção. O terceiro arguido seguiu ao volante do camião em direcção à zona do Infantado.
         
Cerca das 5h00, "conforme combinado", encontraram-se "numa estrada de terra batida" perto da "rotunda do Infantado", Samora Correia, onde "depois de colocarem o ofendido", que "mantiveram manietado", no exterior, "transferiram" para os dois veículos a carga do pesado. Oito televisores LCD e um micro-ondas no valor global de 4.475 euros.     
   
De seguida, os arguidos "arrastaram de novo o motorista" para o interior do reboque do camião, onde "o deixaram manietado", tendo os três homens, "entretanto, abandonado o local. De acordo com o MP, os três arguidos, com 33,35 e 38 anos, residentes em Salvaterra de Magos, "agiram de forma livre, deliberada e consciente" com o propósito de "fazerem seus, os bens que encontrassem no interior do veículo pesado". Para isso fizeram uso "da força física no condutor".    
     
Sustenta a acusação que os três homens "agiram com intenção concretizada de obrigar o ofendido a permanecer no interior do reboque do veículo, e de o privar, assim, da sua liberdade de movimentação e deslocação, bem sabendo que agiam contra a sua vontade".

Segundo o MP, dois dos arguidos "conheciam as rotas" dos camiões ao serviço da transportadora Luís Simões, "pelo facto, de, ali terem, em tempos, exercido funções". Um dos três homens está também acusado de um crime de detenção de arma proibida. Estão ainda constituídos outros dois arguidos, de 33 e 34 anos, acusados do crime de receptação por terem sido os alegados compradores da carga furtada, que viria a ser recuperada pelas autoridades. Todos os arguidos aguaram em liberdade o julgamento, ainda sem data marcada, que deverá decorrer no Tribunal de Benavente.»


in CM online, 05-12-2011

sábado, 26 de novembro de 2011

Cerca de 2 milhões de inscritos a mais no Serviço Nacional de Saúde tiram médico de família a quem precisa

«Sabe-se que o número de inscrições no Serviço Nacional de Saúde é maior do que a população nacional, mas não foi encontrada ainda forma de retirar da lista os cerca de 1,9 milhões de nomes a mais. Luís Cunha Ribeiro, presidente da ARS de Lisboa e Vale do Tejo, sugeriu este sábado, no Porto, que se procure uma solução através do número de contribuinte.

"A Comissão Nacional de Protecção de Dados tem impedido que se cruzem alguns dados, mas não queremos violar a privacidade ou os direitos de ninguém, só queremos saber quantos somos. É assim tão difícil?", disse esta manhã Luís Cunha Ribeiro, no seminário "Uma nova política de Saúde? Que actores?", que decorre durante todo o dia na Universidade Católica do Porto.

O médico, presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (que já foi presidente do INEM e director clínico do Hospital de S. João), deu como exemplo esta discrepância, que faz com que milhares de portugueses não tenham acesso a médico de família, para demonstrar que o desafio agora é gerir informação e não adquirir mais.

"Há 12,4 milhões de inscritos nos centros de saúde e muitos destes devem estar inscritos em mais do que um médico de família", afirmou.

"Nos últimos 12 anos, gastaram-se 600 milhões de euros em sistemas de informação. E com 600 milhões de euros gastos, conseguimos não saber quantos somos no Serviço Nacional de Saúde (SNS), algo tão simples quanto isso", declarou Cunha Ribeiro. Segundo dados da Administração Central do Sistema de Saúde, há 12 444 655 inscritos nos centros de saúde portugueses, embora a população nacional seja de cerca de 10,5 milhões de pessoas. Em Setembro, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse, na Assembleia da República, que há mais de um milhão e 700 mil portugueses sem médico de família, a maioria deles na região da Grande Lisboa.

"Já coleccionamos informação que chegue, temos é que gerir essa informação", sublinhou o médico. Em declarações ao JN, sugeriu que se cruze apenas a identificação fiscal com o registo no SNS. "Há uma informação infalível, que é o número de contribuinte, que só se pode ter um e sabemos que toda a gente tem", referiu. Só na área da sua tutela, na Grande Lisboa, há 4,2 milhões de pessoas inscritas nos centros de saúde quando a população total é de 3,6 milhões.

Isto acontece, explicou, porque há utentes que se inscrevem em dois ou mais centros de saúde. "Às vezes, as pessoas vão de férias, precisam de medicamentos e inscrevem-se noutro centro de saúde", disse Luís Cunha Ribeiro. O seminário prossegue até às 18.30 horas, no pólo da Asprela da Universidade Católica do Porto, e conta, esta tarde, com a participação do presidente da Entidade Reguladora da Saúde, Jorge Simões e com dois ex-ministro da Saúde, António Correia de Campos e Luís Filipe Pereira.»



in JN online, 26-11-2011

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Reportagem da TVI em Muge



Com início no minuto 40 deste Vídeo TVI

Muge: População manifesta-se contra encerramento da extensão de saúde e transferência de processos para a Glória do Ribatejo (Veja vídeo da TVI)

A população de Muge esteve ontem, terça-feira, 08-11-2011, toda a tarde e principio da noite, concentrada frente à extensão de saúde, afim de não permitir a transferência dos processos dos doentes e outros equipamentos para a extensão da Glória do Ribatejo.

O protesto terminou com um cordão humano composto por várias dezenas de utentes, que marcharam entre a extensão de saúde e a sede da Junta de Freguesia de Muge, exigindo a reabertura do seu posto médico.

A acompanhar esta manifestação de protesto esteve uma equipa de reportagem da TVI, recolhendo imagens e depoimentos que serão transmitidos hoje, quarta-feira, por aquele canal nos programas informativos: "Jornal da Uma" e "Jornal das 8".

Vídeo da marcha:

video

- Vídeo cedido por César Diogo, presidente da Junta de Freguesia de Muge -


Veja a reportagem da TVI em Muge, com início no minuto 40 deste Vídeo



domingo, 6 de novembro de 2011

Santarém: Despiste na A1 provocou três mortos


«O despiste de uma viatura ligeira na A1, este domingo, pelas 17.15 horas, provocou três mortos e dois feridos ligeiros. O acidente ocorreu no sentido sul-norte, a dois quilómetros da área de serviço de Santarém.

No local estiveram cinco corpos de bombeiros com 27 elementos e 11 veiculos, a VMER de Santarém e militares do destacamento de Trânsito da GNR de Santarém, que estão a investigar o acidente.

Uma das faixas da A1 esteve condicionada ao trânsito durante uma hora.»



in JN online, 06-11-2011

sábado, 5 de novembro de 2011

Muge e Granho: Utentes decidem formas de luta contra encerramento das extensões de saúde


«Os utentes da saúde de Muge e Granho, concelho de Salvaterra de Magos, que recentemente viram as respetivas extensões de saúde encerradas, reuniram ontem (quinta-feira, 03-11-2011) para decidir formas de luta para contestar esta decisão.


Para já, os utentes decidiram realizar uma concentração junto ao ACES e elaborar uma moção, a ser aprovada nas juntas de freguesia, câmara e assembleia municipal, para enviar ao ACES e ao Ministério da Saúde.


Os utentes pretendem, ainda, fazer o acompanhamento desta entrega no Ministério, promovendo uma concentração no local.


Estas ações ainda não têm datas definidas, e representam apenas o início da luta com vista à reabertura das extensões de saúde.


Recorde-se que o ACES decidiu encerrar as extensões de Muge e Granho no final da semana passada, sem disso dar conhecimento às autarquias e aos utentes, e concentrar todos os serviços na extensão de Glória do Ribatejo»



04-11-2011

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Luísa Portugal mantém decisão de encerramento das extensões de saúde de Muge e Granho


«A Sra. Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, Ana Cristina Ribeiro, reuniu no final da manhã de hoje com a Directora do ACES da Lezíria, Dra. Luísa Portugal, no âmbito do encerramento definitivo das extensões de saúde de Muge e Granho, decidido por aquela entidade na passada sexta-feira.

Apesar dos esforços desenvolvidos pela Sra. Presidente da Câmara Municipal, o ACES da Lezíria manteve a sua decisão de encerramento das duas extensões de saúde, justificando a decisão com limitações orçamentais que impossibilitam a reabertura das referidas unidades de saúde.

Ana Cristina Ribeiro, informou a Dra. Luísa Portugal dos impactos profundamente negativos que esta medida tem no dia-a-dia dos utentes das 2 freguesias, que passam a estar obrigados a deslocações até Glória do Ribatejo, quando não existem redes de transportes públicos assegurados e as condições de mobilidade e custos afectos a esta necessidade de deslocação serem altamente prejudiciais a quem tem o direito de acesso aos cuidados básicos de saúde.

A decisão daquela entidade manteve-se, tendo a Sra. Presidente da Câmara Municipal informado que irá de seguida solicitar alteração da decisão junto do Sr. Ministro da Saúde, na defesa dos interesses da população.

Hoje à noite decorrerá em Muge uma reunião da Comissão de Utentes, na qual estará a Sra. Presidente, Ana Cristina Ribeiro, que dará conhecimento dos resultados desta reunião aos presentes e reforçará o apoio da Câmara Municipal na procura da reconsideração deste encerramento por parte das entidades competentes.»


03-11-2011

Encerramento definitivo das Extensões de Saúde de Muge e Granho

«A Câmara Municipal foi no final da tarde de ontem informada, via fax assinado pela Sra. Directora do ACES da Lezíria do Tejo, Dra. Luísa Portugal, da decisão daquela entidade em proceder ao encerramento definitivo das extensões de Saúde de Muge e do Granho, passando os utentes destas duas freguesias a ter de se deslocar a Glória do Ribatejo, para naquela extensão de saúde obterem os respectivos cuidados de saúde.

Esta decisão, sem qualquer contacto ou tentativa de auscultação prévia por parte da Sra. Directora do ACES da Lezíria do Tejo, constitui-se numa total e lamentável surpresa, na medida em que, na reunião havida entre a Sra. Presidente da Câmara Municipal, Ana Cristina Ribeiro, e a Dra. Luísa Portugal, aquando do encerramento provisório daquelas duas extensões de saúde, ficou acordada a vinda de 2 novos médicos para o nosso concelho, que permitiriam precisamente assegurar a reabertura das extensões de saúde de Granho e Muge.

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos lamenta a decisão tomada pelo ACES da Lezíria do Tejo, que apesar de colocar os 2 novos médicos no concelho de Salvaterra de Magos, prestando cuidados de saúde aos utentes das freguesias de Muge e do Granho, não os está a colocar nas respectivas freguesias, optando por concentra-los na freguesia de Glória do Ribatejo, ignorando ou dando pouca relevância aos custos, dificuldades e transtornos que a deslocação dos utentes de Muge e Granho até Glória do Ribatejo forçosamente implicam.

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos discorda totalmente desta decisão, informando que tomará todas as deligencias possíveis na defesa, lado-a-lado com a nossa população, dos interesses e direitos dos utentes de Muge e Granho no acesso aos cuidados de saúde a que têm direito.

Desta garantia de total solidariedade e luta lado a lado com a população, foi inclusive dado conhecimento público por parte do Sr. Vice-Presidente da Câmara Municipal, Manuel das Neves, na manifestação realizada no dia de hoje em Muge, que juntou centenas de pessoas.

A Câmara Municipal tomará todas as diligências na defesa dos direitos da nossa população junto das entidades competentes e com responsabilidade neste domínio, lado a lado com as juntas de freguesia, as comissões de utentes e a população de Muge e do Granho.

A Presidente da Câmara Municipal,
Ana Cristina Ribeiro »


29-10-2011

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Cartaxo: Paulo Caldas renuncia à câmara



«O presidente da Câmara do Cartaxo renunciou ontem ao mandato, sendo substituído pelo vice-presidente, Paulo Varanda. Paulo Caldas regressa ao Banif.»



in CM online, 26-10-2011

domingo, 23 de outubro de 2011

Bombeiros de Salvaterra de Magos em risco de fechar portas

«A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra de Magos está sem dinheiro, tem salários em atraso e admite fechar portas.



Em causa estão 30 mil euros de dívida que o Estado ainda não pagou, relativos ao transporte de doentes não urgentes, e ainda 100 mil referentes a dívidas de particulares.

O presidente da associação afirmou que o socorro à população, em especial o transporte hospitalar, está totalmente dependente das corporações vizinhas, até porque duas viaturas estão avariadas e não há dinheiro para a reparação.

«O concelho de Salvaterra de Magos tem uma percentagem muito alta de socorro pré-hospitalar, principalmente, e nós não conseguimos fazer frente. São accionadas outras corporações para intervir no nosso concelho, porque já não temos capacidade de resposta», lamentou o presidente da associação.

«Quando o INEM nos acciona nós temos de fazer o socorro, mas o Estado só paga o quilómetro a 48 cêntimos quando ele nos custa 82», lamentou.

António Malheiro disse ainda que no ano passado a associação fazia transporte de doentes não urgentes, o que deu 70 mil euros de prejuízo. «Este ano já não fazemos transporte de doentes não urgentes para o Estado», acrescentou.

Com despesas superiores às receitas, acções em tribunal para recuperação de bens, o "leasing" da ambulância mais recente em atraso, António Malheiros não coloca de lado um cenário de encerramento.

«Se o Estado não olhar para nós de outra maneira, se os cidadãos não nos pagarem aquilo que nos devem, a tendência vai ser piorar e qualquer dia, a médio prazo, poderemos ter de fechar portas», avisou.

O comandante da corporação, José Alberto Vitorino, alertou que há bombeiros em grandes dificuldades, por exemplo, com prestações ao banco em atraso.

Os bombeiros do concelho apenas têm sobrevivido com um subsídio da autarquia, que este mês foi novamente antecipado para pagar um terço dos salários dos perto de 60 elementos da corporação.

Em declarações à TSF, a presidente da autarquia disse que em Dezembro, por exemplo, não será possível antecipar o pagamento do subsídio, devido ao «orçamento de Janeiro».

Ana Cristina Ribeiro não quer colocar a hipótese de a associação deixar de existir e mostra-se disponível para colaborar no sentido de encontrar uma solução.»


Texto in TSF online
Imagem in Google

sábado, 22 de outubro de 2011

Benavente: PSP detém suspeito de homicídio procurado no Brasil

«A PSP da Amadora deteve na sexta-feira à noite um homem, de 40 anos, procurado por tentativa de homicídio e sobre o qual existia um mandado de extradição para o Brasil.

Segundo um comunicado divulgado este sábado, a PSP referiu ter tomado conhecimento de que o suspeito estava na Área Metropolitana de Lisboa e foi interceptado na zona da Recta do Cabo, perto de Vila Franca de Xira.

O indivíduo já foi presente ao juiz no Tribunal Judicial de Benavente.»
 in JN online, 22-10-2011

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Glória do Ribatejo: Arsénio Dias condenado a 25 anos de prisão por matar pai

«O topógrafo de 39 anos que matou o pai à pancada e agrediu a mãe, deixando-a inconsciente, em Glória do Ribatejo, concelho de Salvaterra de Magos, em Outubro do ano passado, foi condenado pelo Tribunal de Benavente à pena máxima de 25 anos de prisão. Terá ainda de indemnizar a mãe em 120 mil euros pelas agressões e pela morte do marido.


- Arsénio Dias -



O colectivo de juízes concluiu que o arguido, Arsénio Dias, com um passado manchado por casos de violência doméstica, não manifestou, durante o julgamento, qualquer arrependimento pelo homicídio do pai, chegando a afirmar que apenas tentou imobilizá-lo para se defender. Alegou que o pai, João Dias, 59 anos, também o agredia e que naquela noite tinha batido com a cabeça numa pedra.

Ficou provado em tribunal que o arguido agiu com crueldade e de forma "violentíssima". Depois de ter dado um soco na cara ao pai, atirando-o ao chão, saltou várias vezes a pés juntos sobre o corpo, ao mesmo tempo que lhe dava pontapés.

Ao aperceber-se da situação, a mãe, Quitéria Coutinho, começou a gritar por socorro, enquanto procurava afastar o filho, mas este empurrou-a para o chão com tal violência que perdeu os sentidos. Quando recuperou, tentou fugir para casa de familiares, mas foi impedida pelo filho, que a agrediu a murro e pontapé . Valeram-lhe outras pessoas que iam a passar na rua e a salvaram, enquanto o agressor fugia, vindo mais tarde a entregar-se à GNR.

Ao ouvir a condenação, a defesa de Arsénio Dias anunciou de imediato que pretendia recorrer da decisão, alegando que o arguido deveria ser considerado inimputável.

O Ministério Público de Benavente já fez saber que discorda, defendendo que o arguido não apresenta sinais ou sintomas que constituam anomalia psíquica grave e capaz de o impedir de avaliar a realidade.»



in Correio da Manhã online, 19-10-2011

sábado, 15 de outubro de 2011

Obras na Ponte do Paul de Magos

«Estradas de Portugal iniciam empreitada de beneficiação de 17 de Outubro a 29 de Novembro, com circulação alternada no local.





A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos informa os Srs. Munícipes e demais utilizadores da Estrada Nacional 118, que a empresa Estradas de Portugal irá iniciar no próximo dia 17 de Outubro uma empreitada de reabilitação e reforço da Ponte do Paul de Magos.

Esta empreitada, pela intervenção que será realizada, levará à implementação de circulação alternada no local, durante a realização dos trabalhos. Trabalhos estes que visam a melhoria do estado de conservação da ponte, passando pela substituição dos muros de ala nascente por muros de gabião, bem como pelo reforço das vigas do tabuleiro e a reparação generalizada dos vários elementos integrantes da ponte.

Durante a empreitada, a empresa avaliará também a última intervenção efectuada neste local, que teve como finalidade a eliminação da formação de um lençol de água na faixa de rodagem durante os períodos de chuva, para validar que a situação se encontra totalmente corrigida e caso não esteja, possa proceder também à sua definitiva resolução, no âmbito desta intervenção.

Os trabalhos, que forçam à implementação de circulação alternada no local, decorrem de 17 de Outubro a 29 de Novembro.»


domingo, 9 de outubro de 2011

Benavente: Dois mortos em colisão na EN 119 (Campo de Tiro de Alcochete - Infantado)

«Duas pessoas com idades entre os 25 e os 30 anos morreram e quatro ficaram feridas num aparatoso acidente ocorrido, este domingo à tarde, na Estrada Nacional 119, muito próximo de Alcochete.

A colisão entre um veículo pesado de mercadorias e um ligeiro de passageiros causou a morte imediata a dois dos ocupantes deste último. Segundo disse ao JN um representante do centro distrital de operações de socorro de Santarém (CDOS), o acidente deu-se na recta de Alcochete, entre o Campo de Tiro e o Infantado, estando ainda o trânsito cortado naquela via.

Três feridos graves foram transportados para os hospitais de São José e Santa Maria, em Lisboa, sem haver, por enquanto informações do seu estado de saúde.

O outro ferido não precisou de tratamento hospitalar. No local estiveram cinco corporações de bombeiros de Samora Correia e um carro do INEM de Lisboa.»


in JN online, 09-10-2011

domingo, 2 de outubro de 2011

Salvaterra de Magos: Festival Taurino, domingo, 16 de outubro




Dia 16 de outubro de 2011, a praça de toiros de Salvaterra de Magos recebe um Festival Taurino a favor da Associação Lago (luta contra o cancro da mama).
 
Em praça vão estar os cavaleiros: Joaquim Bastinhas, José Manuel Duarte, Ana Batista, António Maria Brito Paes, Manuel Telles Bastos e Francisco Zenkl.

As pegas estarão a cargo dos Grupos Forcados Amadores de Coruche, Lisboa e Salvaterra de Magos.

Novilhos-toiros da ganadaria de João Ramalho.



Imagem com marca d'água in http://cavalos-e-toiros.blogspot.com/

sábado, 1 de outubro de 2011

Muge: Empreitada de Arranjo Urbanistico do Rossio e Reabilitação da Vala do Rio Mugem já foi adjudicada

No seguimento da apresentação pública efectuada pela Câmara Municipal à população de Muge, na Casa do Povo, a Câmara Municipal de Salvaterra de Magos lançou um Concurso Público para a Empreitada de Arranjo Urbanistico do Rossio de Muge e Reabilitação da Vala do Rio Mugem, através do qual a obra foi adjudicada à empresa CIVILVIAS, LDA, pelo valor de 930.535,88 euros.




Decorrem os procedimentos contratuais, que logo que concluídos darão início à construção da obra, que tem um prazo de execução fixado em 240 dias.

Esta obra terá uma áre total de intervenção superior a 7,2 hectares e virá dotar o Rossio de Muge e a Vala do Rio Mugem das seguintes mais valias:
  • Parque de Merendas(uma recatada área de lazer e refeições, com mesas, bancos, bebedouros e duas churrasqueiras, e um passadiço de madeira colocado a nível superior que vai permitir o visionamento da foz da ribeira e da ponte metálica)
  • Espaço de Jogo e Recreio(uma área composta por equipamentos com superficie em borracha, área destinada a jogos com relva, área de recreio infantil, bebedouro e zona de jogos tradicionais)
  • Alameda Pedonal(alameda pedonal e ciclável)
  • Área de Estadia/Lazer(composta por equipamentos que permitem contemplar a paisagem envolvente)
  • Recinto das Festas e Edificio de Apoio às Festas(composto pela construção de um novo edificio de apoio às festas, complementado por um pátio/esplanada com pavimento em calçada, aompanhado por um terreiro de cerca de 6.000m2 para instalação dos equipamentos afectos às festas)
  • Área de Tratamento de Resíduos Verdes


Esta obra será cofinanciada pelo QREN (Quadro de Referência Estratégica Nacional), no âmbito da candidatura apresentada pela Câmara Municipal, que mereceu a aprovação por parte das entidades gestoras.

Para a Sra. Presidente, Ana Cristina Ribeiro, “esta é uma obra que vai reabilitar um espaço muito querido e muito ligado à população de Muge, dando-lhe a utilização, imponência e envolvência que ele merece, para que a população possa fruir das suas aptidões e qualidades naturais.”

Trata-se de um projecto de qualidade reconhecida, aprovado pela CCDR do Alentejo no âmbito da candidatura apresentada pela Câmara Municipal, na valorização do espaço rural, “tendo a nossa candidatura sido aprovada num núcleo restrito inferior a 20 projectos, quando o total de projectos era de 98. É portanto uma aprovação que comprova a mais valia deste projecto e que muito nos orgulha”, informa a Sra. Presidente.






quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Marinhais: Três detidos por roubo


«Militares da GNR efectuaram esta quinta-feira a detenção de três homens residentes em Lisboa por terem roubado, por esticão, um fio de ouro a um idoso que abordaram na rua, em Marinhais (Salvaterra de Magos).

Em comunicado, a GNR afirma que os militares do posto de Samora Correia conseguiram interceptar os suspeitos, com idades entre os 26 e os 28 anos, já no Porto Alto, tendo encontrado dentro da viatura em que seguiam um fio em ouro que foi reconhecido pelo cidadão assaltado.

Os três homens ficaram detidos até serem presentes a primeiro interrogatório judicial, adianta o comunicado.»


in CM online, 29-9-2011

Santarém quer acolher projecto piloto que visa colocar militares da GNR nas juntas de freguesia


«A Câmara de Santarém quer acolher um projecto piloto que visa colocar militares da GNR nas juntas de freguesia, criando uma rede de "grande mobilidade, visibilidade e proximidade" às populações, disse à agência Lusa o presidente da autarquia.

 - Moita Flores -

Francisco Moita Flores disse à Lusa que o comandante territorial da GNR de Santarém, coronel Corte-Real Figueiredo, lhe apresentou um modelo de acção "extremamente inovador e operacional", que vai "muito além da visão tradicionalista de uma segurança à espera".

Segundo disse o autarca, o modelo proposto permite uma "muito maior rentabilização de meios materiais e humanos", permitindo "um policiamento de proximidade, muito mais ativo, perto das pessoas e que permite à GNR responder com mais eficácia aos problemas das várias freguesias".

Corte-Real Figueiredo disse à Lusa que o projecto está "em fase de planeamento, de maturação, de ouvir os interessados", porque quer que as populações "o percebam e aceitem como uma ideia que pode ser uma boa solução em tempo de crise".


- Corte-Real Figueiredo -

Moita Flores reconheceu que "não é fácil" fazer perceber os ganhos do projecto num primeiro momento, já que a sua concretização passa pelo encerramento do actual posto existente na freguesia de Pernes e as pessoas vêem no edifício "um valor simbólico" mas que "não responde às necessidades das populações que serve".

O modelo proposto por Corte-Real Figueiredo passa pela colocação de um militar da GNR nos edifícios das juntas de freguesia, tendo à sua disposição um computador, para registar queixas e dar andamento a inquéritos, e uma scooter para poder percorrer a freguesia, fazendo notificações e passando pelas escolas e pelas residências dos idosos identificados como vivendo isolados.

Por outro lado, de acordo com o modelo, as patrulhas em viatura, colocadas de forma a criar uma "malha" de cobertura do concelho, funcionam em articulação com estes militares, permitindo a chegada rápida a locais de eventuais ocorrências.

No caso de Santarém, a GNR possui um total de 38 agentes nos postos de Santarém e de Pernes, tendo, no primeiro caso, seis agentes em rondas ao longo do dia (num total de 22) e, no segundo, três (num total de 16).

No posto de Pernes, oito militares têm que prestar serviço no posto, cinco estão alternadamente em descanso, restando três para andar na rua, sendo que em Santarém essa proporção é de nove, sete e seis.

Eliminando a estrutura física em Pernes, a proporção passaria, segundo o modelo, para dez, dez, 18, duplicando o número de militares na rua.

Para Moita Flores, "é claro de ver que a mobilidade de guardas e patrulhas e a segurança é o que interessa às populações e não terem um serviço de plantão, que mostra autoridade mas não tem condições para a realizar".»


Texto e imagem de Moita Flores in CM online, 29-9-2011
Imagem do coronel Corte-Real Figueiredo in CM, 07-5-2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Detidos três suspeitos de furto em residência da Glória do Ribatejo

«A GNR deteve três homens residentes no concelho de Benavente por tentativa de furto no interior de uma residência, tendo apreendido diversos objetos furtados.

Em comunicado, a GNR afirma que os três homens, com idades entre os 22 e os 25 anos, foram detidos por militares do Núcleo de Investigação Criminal de Coruche, na sequência de uma tentativa de furto no interior de uma residência em Glória do Ribatejo, Salvaterra de Magos.

Os detidos, que foram constituídos arguidos, tendo o processo passado a inquérito, já se encontravam referenciados por este tipo de ilícito criminal, nomeadamente pelo furto no interior de uma residência situada na Branca, concelho de Coruche, acrescenta.

Numa busca ao interior da viatura dos suspeitos, os militares encontraram objetos furtados na residência, bem como diversos utensílios utilizados na execução dos furtos, nomeadamente gorros/passa montanhas, luvas, um pé de cabra e vários telemóveis furtados.

Munidos de mandados de busca, os militares apreenderam ainda, na residência dos suspeitos, uma viatura, seis LCD, doze telemóveis, quatro computadores portáteis, dois GPS, diversas ferramentas, joias, uma arma de caça, três cartuchos, uma viola, uma consola, eletrodomésticos e aparelhos de som e imagem, adianta a nota da GNR.»


in DN online, 26-9-2011

domingo, 25 de setembro de 2011

Glória do Ribatejo: Motociclista César Oliveira Peixe morre em acidente


«César Oliveira Peixe, de 32 anos, morreu ontem, em Benavente, Santarém, na sequência de uma colisão entre um veículo ligeiro e um motociclo que fez também dois feridos graves.

O acidente ocorreu na Estrada Nacional 118, que liga Benavente a Santo Estêvão, junto à Quinta de São Francisco.

César, que conduzia a moto, foi abalroado pela viatura, onde viajavam um idoso de 77 anos e uma mulher de 74 que sofreram ferimentos graves e foram transportados para o Hospital de Vila Franca de Xira.

"É uma grande perda para o moto clube. Estamos todos muito tristes. O César era um miúdo impecável", lamenta José Peixe, primo da vítima e um dos fundadores do Glória Moto Clube de Salvaterra de Magos, ao qual César pertencia há 15 anos.

No local estiveram 12 bombeiros apoiados por três ambulâncias e um veículo de desencarceramento da corporação local, bem como a GNR.»


in CM online, 25-9-2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Benavente: Um morto e dois feridos graves em colisão na Estrada Nacional 118


«Um morto e dois feridos graves resultaram, este sábado, de uma colisão entre um veículo ligeiro e um motociclo em Benavente, distrito de Santarém, indicou fonte do comando-geral da Guarda Nacional Republicana.

De acordo com a mesma fonte em declarações à agência Lusa, a colisão deu-se às 15.15 horas na Estrada Nacional 118, na localidade de Benavente.»


in JN online, 24-9-2011

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Foros de Salvaterra: GNR deteve três pessoas por assalto a residência

«Em 20 de Setembro de 2011, cerca das 13H25, o Comando Territorial de Santarém, através do Posto Territorial de Salvaterra de Magos, procedeu à detenção em flagrante delito de três indivíduos, duas mulheres e um homem, com idades compreendidas entre os 22 e os 44 anos de idade, residentes no concelho de Setúbal, por furto no interior de residência.

Esta acção decorreu na sequência de uma denúncia telefónica de que na localidade de Foros de Salvaterra – Salvaterra de Magos, estava a decorrer um assalto a uma residência, tendo resultado da actuação pronta desta Guarda, além da referida detenção, a apreensão de duas bombas submersíveis no valor de 5000 euros e de uma viatura ligeira de passageiros, na posse dos suspeitos.

Os indivíduos ficaram detidos nas instalações desta Guarda em Samora Correia e Coruche, até serem presentes a tribunal para primeiro interrogatório, previsto para esta quarta-feira.»


(21-9-2011)

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Marinhais: Detidos ao tentarem vender ouro falso a dois militares da GNR


«Dois homens, pai e filho, de 40 e 21 anos, foram detidos, ontem de manhã, em Marinhais, Salvaterra de Magos, Santarém, depois de tentarem vender falsos objectos em ouro a dois militares da GNR que circulavam na rua à civil.

Os dois detidos vão ser presentes hoje ao Tribunal de Benavente.»


in CM online, 19-9-2011

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Cartaxo: GNR apreendeu 52 quilos de cocaína


«A GNR apreendeu hoje 52 quilos de cocaína em Vila Chã de Ourique, no Cartaxo, na sequência de uma fiscalização rodoviária a um camião de mercadorias.

De acordo com fonte do comando-geral da guarda, a cocaína vinha dissimulada no interior de um contentor proveniente da Colômbia e dividida em 46 embalagens individuais, armazenada em duas sacas misturadas com outras mercadorias.

Ao conferir o manifesto da carga, a GNR detectou as duas sacas com a cocaína.

O caso foi entregue à Polícia Judiciáriaa.»


in DN online, 16-9-2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Samora Correia: Jovem de 23 anos degolada pelo marido


«Homem de 27 anos é suspeito de ter degolado a mulher, de 23, na residência do casal em Samora Correia. Fonte da GNR garante que não havia queixas de violência domestica.


Uma mulher de 23 anos terá sido morta pelo companheiro durante uma rixa ocorrida domingo à noite na residência do casal, em Samora Correia, concelho de Benavente, tendo o homem, de 27 anos, sofrido ferimentos graves.

Fonte da GNR confirmou à agência Lusa que as autoridades foram chamadas por volta das 23:40 de domingo por uma vizinha do casal, tendo-se deparado, quando chegou ao local, com a mulher degolada e o homem apresentando ferimentos graves e ao que tudo indica feitos com arma branca.

A fonte adiantou que as circunstâncias do crime, nomeadamente o tipo de arma envolvida e se o homem se feriu ou não a si próprio, estão a ser investigadas pela Polícia Judiciária.

Segundo disse, a GNR não tinha registo de qualquer queixa de violência doméstica, não sendo este um caso sinalizado.

"Se havia desentendimentos nunca houve denúncias", disse.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, além da GNR, no local estiveram três viaturas dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia e a viatura médica de emergência e reanimação do Hospital de Vila Franca de Xira.»


in DN online, 12-9-2011

domingo, 11 de setembro de 2011

Vale de Santarém: Kikas, de rainha da sucata a empresária de "meninas"

«Construiu um verdadeiro império sozinha e as más línguas garantem que é uma das mulheres mais poderosas de Portugal. Ao "La Siesta" vão magistrados, deputados e jogadores de futebol.
 
 
 

Na noite do último sábado chegaram à pequena vila de Vale de Santarém (algures entre o Cartaxo e Santarém - é procurar no mapa) oito autocarros. Os clientes da Kikas chegam, de todo o país, organizados em excursões. Ao final da noite, a dona da casa de alterne mais famosa de Portugal - o bar La Siesta - deita contas à vida e contabiliza mais de 2800 entradas. Ainda assim, solta um desabafo: "Correu bem, mas há dias melhores." Nas noites fortes não sobra um único espacinho para estacionar na vila e há clientes que são obrigados "a andar três quilómetros a pé" para chegar ao estabelecimento.

A Kikas é a Maria da Conceição, uma mulher de 51 anos que já foi rainha da sucata, passou pela cadeia de Tires e agora é rainha da noite no Ribatejo. Num espaço de oito anos construiu, sozinha, um verdadeiro império. Reza a lenda que a casa é frequentada por altos magistrados, deputados, jogadores da bola, muita gente conhecida e influente. Sobre isso a Kikas não se descose e não levanta sequer uma pontinha do véu: "Respeito muito quem cá vem", limita-se a dizer - enquanto abre, em menos de nada, uma garrafa de água que a jornalista não conseguiu abrir por falta de força. À chegada ao La Siesta, depois de o encontro ter sido marcado dias antes por telefone, a Kikas olha-nos de cima a baixo e pergunta, num tom de poucos amigos: "Mas afinal o que é que você quer comigo?" Fotógrafo e jornalista engolem em seco. Maria da Conceição, voz gasta e olhar demasiado forte, intimida. No entanto, uma hora depois de começar a entrevista, desata a chorar baba e ranho em cima do gravador, enquanto desfia, pela primeira vez, a história da sua vida a um jornal.

A Kikas montou a casa de alterne em menos de 48 horas. Tinha um restaurante, trabalhava 22 horas por dia e adormecia quase sempre de exaustão em cima de uma arca frigorífica. Até que um dia decidiu que havia de abrir uma "casa de meninas". Logo ela, que sempre foi contra a prostituição. "Pela educação que tive, pela maneira como a sociedade olhava para as mulheres da vida", recorda. A Kikas pensa e executa muito depressa. Foi assim em todos os projectos em que se meteu - além da casa de alterne, Maria da Conceição tem uma discoteca no Cartaxo, um ginásio e, desde o final do mês passado, um restaurante, colado ao bar. Até ao final do ano conta abrir mais um espaço: uma casa para acolher crianças abandonadas.

A perda da inocência No dia em que decidiu que havia de ser empresária da noite arredou todas as mesas do restaurante e sentou-se à máquina de costura. Costurou cortinados, véus e toalhas de mesa. Pouco depois chegavam as primeiras três raparigas - que já andavam na vida e trabalhavam em bares da zona -, trazidas por um homem que costumava almoçar no restaurante e era frequentador do alterne.

Ainda não tinha passado uma semana e a Kikas já queria desistir, aquilo não era para ela. Maria da Conceição, que nasceu rapariga do campo, não tem vergonha de dizer que passou fome "em muitos momentos", mas jura que nunca se prostituiu. Nem para dar de comer ao filho, que criou sozinha, nem na pior fase da vida - quando saiu da cadeia com uma mão à frente e outra atrás e uma nódoa no cadastro. "A Kikas não sabia nada da noite", recorda. E, além da ignorância profunda ainda tinha uma visão romântica do que era "andar na vida". As próprias raparigas que tinha de orientar e gerir estavam mais preparadas psicologicamente que ela. "Eu pensava que era uma coisa simples. Havia conversa e tinha de haver um clique, elas tinham de gostar do homem para poderem estar com ele, mas não. A vida não é isso", diz. Foi quando lhe apareceu uma quarta rapariga, do nada, que prometeu ensinar-lhe tudo o que precisava de saber para sobreviver num mundo "duríssimo". As raparigas telefonaram a outras raparigas e as empregadas multiplicaram-se. Seis meses depois começaram a chamar-lhe "mãe". O nome ainda hoje se mantém. Para as raparigas, Maria da Conceição é a "mãe Kikas". Para os clientes é a "tia Kikas". Para o resto do mundo é apenas "a Kikas" do La Siesta - figura polémica no Vale de Santarém. Há quem a defenda com unhas e dentes. Há quem a odeie. Outros aprenderam, simplesmente, a respeitá-la. Ou a ignorá-la.

No início tinha "tanta pena" das raparigas que lhes levava todas as manhãs o pequeno-almoço à cama. E chorava a caminho de casa com vergonha do que fazia. Até que a vergonha passou. "Aprendi a ser feliz nesta vida, a amar-me, a ser cínica, a fingir e a não ter complexos. Isto é o que eu sou eu e respeito-me muito", garante.

As raparigas Mesmo assim, e apesar do pulso forte que aprendeu a ter com as raparigas, Kikas continua a não abdicar de certos rituais: ainda lhes apanha a roupa, ainda lhes faz a comida todos os dias. Vai às compras com elas, leva- -as ao médico quando estão doentes, ensina-as a orientarem-se. Das 50 que hoje trabalham no bar dez têm vida dupla e só aparecem aos fins-de-semana. Têm empregos ditos normais, mas precisam de ganhar dinheiro extra. No La Siesta há enfermeiras, psicólogas e até uma médica. A maioria não são portuguesas, "porque a mulher portuguesa tem vergonha e prefere trabalhar nisto no estrangeiro". Algumas só o fazem sazonalmente. Ganham dinheiro rápido, param metade do ano e voltam a aparecer. A mais velha tem 46 anos.

Mas a fama do bar não foi construída graças às mulheres - que vão e vêm, apesar de algumas já trabalharem na casa há cinco anos. O segredo do sucesso é a marca Kikas e foi construído "à base de muita psicologia humana". Maria da Conceição diz que se deu conta de que "as outras casas do ramo eram demasiado tristes". Os homens, as mulheres. "Até as bebidas me pareciam tristes", conta. E então a Kikas percebeu que era preciso criar um espaço "de divertimento". Arranjou um microfone e não há uma única noite em que não esteja no bar, a "animar a coisa" - manda piropos aos clientes, diz palavrões, prega sermões aos que acidentalmente "apalpam as raparigas", inventa e apresenta todos os espectáculos. E diz que criou uma casa onde não se paga a entrada e "onde não é obrigatório pagar copos às raparigas". No mesmo espaço convivem magistrados, deputados, trolhas e ex-presidiários. "Porque todas as pessoas têm qualquer coisa em comum", explica. Há uns anos lembrou-se de aproveitar o alterne para fazer solidariedade. O La Siesta tornou--se conhecido por recolher fundos para ajudar crianças que precisam de tratamentos no estrangeiro ou de cadeiras de rodas. Com os clientes, só numa noite, Maria da Conceição já chegou a angariar 7 mil euros para operar uma criança em Cuba. E para que "não haja dúvidas sobre o destino do dinheiro", pais e crianças aparecem no bar, entre a meia--noite e a uma da manhã, "para que todos os vejam".

Os quartos A Kikas tem uma energia inesgotável. Até às 23h30 trabalha na cozinha do restaurante - que tem tido saída "sobretudo para despedidas de solteiro". Depois despe o avental e veste a roupa da noite - sempre branca, preta ou vermelha - e abre a pista à meia-noite, sempre com o mesmo ritual: o bar é incendiado (literalmente) e, ao microfone, repete a mesma ladainha: avisa logo os presentes de que "quem não tem euros" só vê e, quando muito, "vai para a casa de banho bater uma punheta". Assim, sem mais. O que se segue são espectáculos de strip - aos sábados também há shows masculinos - e as meninas a rodopiar pelo bar, roupa curta e maquilhagem mais ou menos carregada, dispostas a facturar. Facturar é levar os homens a consumir bebidas. No final o lucro é divido ao meio: metade é para a Kikas, a outra metade para as raparigas. Paredes meias com o bar, separados por um pátio com uma piscina imponente, há 37 quartos, arrendados às funcionárias. Cada uma paga uma renda diária de 35 euros - que dá direito a pensão completa e roupa lavada. É a Kikas quem lhes faz a comida e a D. Cristina trata da lavandaria. Então e há prostituição nos quartos?, arriscamo-nos a perguntar. "Isso é a vida íntima delas", responde Maria da Conceição. "O que elas fazem nos quartos é com elas e se se prostituírem não tenho nada a ver com isso, nem ganho nada", garante.

Quem que ser alternadeira O recrutamento das empregadas é bem mais simples do que se possa imaginar. "Qualquer ser humano pode trabalhar na minha casa", diz a Kikas, acrescentando que é mais importante a inteligência e a conversa do que o corpo. "Tive aqui uma senhora com 132 quilos que era a mulher mais desejada da casa", recorda. Tudo porque a maior parte dos clientes não estão interessados em sexo. "Acredite que 98% dos homens querem conversar, sentem-se perdidos e elas acabam por ser psicólogas." Por isso a principal qualidade de uma rapariga "é saber ouvir". E ter alguma esperteza associada. "Ensino-lhes que nunca devem chegar o pé de um cliente e perguntar se quer beber um copo. Devem chegar, saber estar como senhoras, cumprimentar, perguntar o nome, conversar com ele, se ele estiver triste perguntar porquê. Passados 15 minutos devem pedir desculpa e dizer que têm de se ausentar para trabalhar. E aí é que o cliente se oferece para pagar uma bebida, para terem mais um pouco de companhia. É tudo uma questão de psicologia", diz.

Mas a mãe Kikas ensina muito mais às raparigas. Até a gerir o dinheiro. Kikas nunca se descose e não diz quanto tiram por mês. Diz só que "pode ser muito dinheiro e que é dinheiro muito rápido". Primeiro diz-lhes que devem pagar as dívidas que têm. Depois aconselha-as a "fazerem a sua própria casinha e a comprarem um ou dois apartamentos para terem uma fonte de rendimento". Por último, recomenda-lhes que saiam da vida depressa. "Porque isto não é vida para ninguém", garante.

pretty woman Quase todas as mulheres do bar têm filhos. E é por eles que quase todas andam na vida. "Querem pagar as faculdades aos filhos, dar-lhes estabilidade. Outras precisam de dinheiro para comer, operar familiares ou pagar dívidas urgentes." Só uma minoria trabalha por prazer: "Essas são mulheres independentes, que se habituaram a ter um nível de vida muito superior." Todos os meses Kikas perde raparigas, porque encontram "um companheiro" na casa. "Acredite que muitas vezes é mesmo amor e tanto elas como eles nunca tinham tido carinho antes. Estas mulheres, quando saem da vida, tornam-se muito meigas, fiéis e dedicadas", diz. Já os homens que frequentam o La Siesta não poderiam ser mais variados. Há os rapazes novos, que às vezes "nem querem ter nada com as raparigas" e só vêm para sair à noite, há os casados, os viúvos e os divorciados. E alguns idosos "que não têm família, vivem profundamente sós e acabam por passar o Natal connosco".

A Kikas, algumas rugas na cara, diz que não acredita no amor - só no amor entre pais e filhos. Casou aos 21 anos, teve um filho, divorciou-se dois anos depois. Nunca mais voltou a casar. Agora tem um namorado. "Um homem extraordinário", que compreende a vida que leva. E apesar de tudo o que já viu na noite diz que os homens não são tão maus como por vezes os pintam. "Os homens... [silêncio] os homens são seres humanos que têm de mostrar à sociedade que são machões, mas na verdade são mais sensíveis e frágeis do que as mulheres e por isso acabam por sofrer muito." É a rainha da noite quem o diz.

Maria da Conceição. A rapariga ambiciosa que nasceu no campo

Poucas vezes aceitou contar a história da sua vida. Não por medo. Não por vergonha. Simplesmente porque "é um percurso com muitas fases e muita coisa difícil junta". Maria da Conceição, 51 anos, era uma rapariga do campo. O pai trabalhava na companhia das águas, a mãe vendia fruta na praça e a avó tinha uma mercearia. Deram-lhe a alcunha de "Kikas" assim que nasceu, quando a parteira a tomou nos braços e exclamou: "Que coisa tão kikas."

Fez o liceu, era boa aluna, mas queria dinheiro "porque não gostava de pedir nada a ninguém" e sempre foi "muito ambiciosa". Desde sempre que se conhece assim. Foi a ambição que a levou a largar os estudos e a arranjar trabalho.

Empregou-se no escritório de uma sucata, a comercializar peças de automóveis, mas o que encontrou foi um mundo de homens rudes, nada habituados ao convívio com uma mulher no local de trabalho. Enfrentou-os. "Mostrando que não tinha medo. Aprendi a ser tão mal-educada como eles ou mais. Se eles sabiam magoar, eu também podia magoá-los", recorda.

Com 21 anos casou. Dois anos depois de ter o filho, hoje licenciado em Ciências do Ambiente (mas está a trabalhar a tempo inteiro no ginásio e na discoteca do Cartaxo), pediu o divórcio. Não sabe explicar bem porquê. Diz que não sabia nada da vida. Conta que os pais sempre a protegeram muito. E recorda que, além disso, "tinha umas ideias diferentes das da sociedade". O que a Kikas queria era ter um filho e ser mãe solteira - os pais perplexos e a aldeia de Vale da Pedra, a 12 quilómetros de Vale de Santarém, escandalizada com a estranha opção de vida.

Entretanto a sucata vê-se envolvida num grande processo-crime por falsificação de documentos. Kikas foi dentro. Primeiro esteve detida na Judiciária. Depois foi transferida para a prisão de Tires.

"Era ingénua, não sabia nada da vida, aprendi a lidar com a mediocridade, com a falsidade", recorda. Na cadeia, aos 30 anos, encontrou de tudo. Mulheres sozinhas, mulheres inocentes, mulheres que mataram, mulheres que traficavam, mulheres que andavam na vida. Um dia escreveu uma carta a um juiz, indignadíssima, por causa de uma rapariga que estava presa por não ter pago "um simples bilhete de comboio". Cartas para aqui, cartas para ali, e lá conseguiu que a moça fosse libertada. "Na prisão aprende-se que até as pessoas mais perigosas e duras são capazes de chorar."

Quando saiu da cadeia Kikas tinha um filho nos braços. Entretanto perdeu a casa e todos os bens. "Na rua as pessoas mudavam de passeio quando me encontravam, foi a pior fase da minha vida. Não tinha que comer e dormia num pequeno colchão, no chão, com o meu filho ao colo." Foi quando se lembrou de começar a pintar quadros para sobreviver. O negócio - Kikas pinta "sobretudo naturezas-mortas" - virou um sucesso e começo a não ter mãos a medir. Diz que esgotou e teve de parar. Mas ainda arranjou um pé-de-meia, mandou o filho para a faculdade e meteu-se numa sociedade de um restaurante, que durou pouco tempo. "Como era divorciada e ex-presidiária, a mulher do meu sócio meteu na cabeça que tínhamos um caso", conta. Foi quanto bastou para estalar outra polémica em Vale de Santarém. Kikas saiu da sociedade, mas o sócio acusava-a publicamente de lhe ter ficado a dever muito dinheiro. Uma noite pegou num papel do notário - que provava que era o sócio quem lhe devia dinheiro a ela -, fotocopiou-o até à exaustão e, sozinha, espalhou-o pela vila. Vale de Santarém acordou inundada de fotocópias e com a população aos cochichos, na rua. Uns acreditavam nela. Outros insistiam que era mais uma mentira. E Maria da Conceição fez-se à vida outra vez de mãos a abanar. "Nunca mais hei-de ser pisada", jurou. Alugou uma casa "muito pequenina" na vila e abriu um restaurante. Trabalhava 22 horas por dia e dormia em cima da arca frigorífica do restaurante.

Até que um dia, praticamente esgotada com tanto trabalho, disse, por brincadeira, a um homem que costumava almoçar no restaurante, que havia de abrir uma "casa de meninas". Ele chamou-lhe "louca". A verdade é que a mulher que agora é dona de um império até era contra a prostituição, porque no meio de tantos recomeços nunca vendeu o corpo. "Achava que as mulheres que o faziam só podiam ser fracas, porque escolhiam o caminho mais fácil e não lutavam." Mesmo assim, costumava ver algumas mulheres da vida na berma da estrada e ao mesmo tempo achava injusto que aquelas raparigas "não pudessem ter uma casa onde estivessem protegidas e menos expostas". Por coincidência, o homem a quem deixou o desabafo frequentava algumas casas do género e ajudou-a a montar o negócio, há oito anos. Em menos de 48 horas nasceu o La Siesta. Todos os projectos em que se meteu, conta Maria da Conceição, foram criados em "momentos de raiva" e para "provar à sociedade" que era capaz de chegar a algum lado. E quanto mais lhe apontavam o dedo "mais forças ganhava para vencer", admite. A Kikas intimida. Mas também chora.»


in jornal i online, 10-9-2011
Imagem in Google

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Muge: Bebé de 18 meses morreu em colisão entre duas viaturas


«Uma criança com cerca de 18 meses morreu, esta quarta-feira, na sequência da colisão entre duas viaturas na estrada nacional 118, junto a Benfica do Ribatejo, num acidente que provocou mais quatro feridos.

Segundo disse à Agência Lusa o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, a criança, que sofreu uma paragem cardiorrespiratória ainda foi transportada para o hospital de Santarém, mas acabou por falecer.

Dos outros feridos, dois são considerados em estado grave e dois ligeiros, disse, adiantando que o acidente ocorreu cerca das 13.15 horas.

De acordo com a mesma fonte, foi enviado para o local do acidente um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), com um médico, uma vez que a viatura médica de emergência e reanimação do hospital de Santarém estava inoperacional.

No local estiveram 22 elementos e oito viaturas das corporações de bombeiros de Almeirim e Salvaterra de Magos e ainda o núcleo de investigação criminal da GNR.

A colisão envolveu uma viatura ligeira de passageiros e outra de ligeira de mercadorias, adiantou.»


in JN online, 07-9-2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Serviço Ferroviário de Passageiros Coruche/Setil termina no dia 30/9/2011



«A 22 de Julho de 2009 foi celebrado um Protocolo entre a Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, Câmara Municipal de Coruche, Câmara Municipal do Cartaxo e CP – Comboios de Portugal e a Refer, que permitiu a reabertura da Linha de Vendas Novas (Coruche/Setil) ao transporte ferroviário de passageiros.

Um Protocolo que pela sua importância e dimensão, foi na altura considerado pela própria tutela como um protocolo inovador a nível nacional.

Decorridos os seus 2 anos de período experimental de exploração da linha, a Administração da CP reuniu a 14 de Julho com os 3 Municípios, tendo Salvaterra de Magos e Coruche demonstrado interesse na renovação deste protocolo e na consequente continuidade deste serviço à população.

Na corrente semana a Administração da CP informou a Câmara Municipal que a partir do próximo dia 1 de Outubro deixará de efectuar este serviço, não renovando o protocolo.

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos lamenta esta decisão, pois cumpriu todos os compromissos que no âmbito deste protocolo assumiu com a CP, financeiros e não-financeiros, lamentando inclusive que o esforço desenvolvido e reconhecido em 2009, na implementação de um meio de transporte amigo do ambiente e potencial elemento de desenvolvimento da região, seja deste modo finalizado.

Honrámos os nossos pagamentos, criámos redes complementares de circuitos rodoviários de acesso às estações de Muge e de Marinhais através da rede municipal Magos Bus, e dentro das nossas possibilidades incentivámos à utilização deste meio de transporte por parte da nossa população.

Lamentamos a finalização deste serviço, decidido pela CP, e os transtornos que o fim deste serviço trará aos nossos munícipes, pois somos o município que maior número de passageiros diários tem a utilizar este transporte público.

Um descontentamento que já fizemos chegar à Administração da CP e que é reforçado pelo conhecimento público da existência de diversas linhas a nível nacional com perdas na sua exploração, que permanecem activas.

Paços do Concelho, 01 de Setembro de 2011

A Presidente da Câmara Municipal

Ana Cristina Ribeiro»


(01-9-2011)